sexta-feira, 22 de junho de 2012

Lançamento do edital de licitação do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas

Foto - Pregopontocom
Foi realizado nesta quinta feira no Centro de convenções do Fiesta o evento para o lançamento da licitação para construção e operação do sistema metroviário de Salvador e Lauro de Freitas.Um evento simples que contou com as presenças do Governador Jaques Wagner,o Vice Oto Alencar,o secretário de Desenvolvimento Urbano Cícero Monteiro,secretários de governo Eduardo Copello,Ruy Costa,Sergio Gabrielli,a Prefeita de Lauro de Freitas Moema Gramacho e o seu vice,representantes da prefeitura de Salvador, Deps.Federal Zezéu Ribeiro e Alice Portugal,Senadora Lídice da Mata,Vereadores Aladilce Souza,Gilmar Santiago,Marta Rodrigues,Olivia Santana,representando o Movimento Salvador Sobre Trilhos A.Luis e Edinillson de Oliveira, o Arqt.Daniel Colina além de diversas outras autoridades,politícos,convidados,empresários e representantes do setor de transporte de Salvador.Foi feita uma exposição com um Vídeo institucional sobre o projeto do sistema com as duas linha de metrô e mais explicações dos secretários de governo presentes sobre detalhes do projeto e da licitação.O governador falou sobre o projeto e o que ele representa para as duas cidades a previsão de entrega da obra, os sistemas complementares que faram integração com o metrô e as fazes que se sucederam até chegar a licitação do sistema.A licitação está disponível para consulta publica e sugestões que poderão ser enviadas através do Site  - http://www.sedur.ba.gov.br/metro/

video

                Entrevista coletiva do Governador da Bahia Jaques Wagner-


Veja também - O Metrô de Salvador o povo e as  desconfianças

quinta-feira, 21 de junho de 2012

O METRÔ DE SALVADOR o Povo e as desconfianças

Uma coisa é real.....a excessiva demora na sua construção e conclusão,motivada por falhas e erros cometidos pela administração do município durante a construção do metrô Lapa / Pirajá ao longo de 12 anos tem motivado e resultado um alto grau de desconfiança com relação a continuidade da obra iniciada e com relação ao projeto de construção do novo ramal do metrô Metroplitano, SSA/ L. de Freitas, também conhecido como metrô da Paralela.No entanto esse grau de desconfiança deveria se transformar num forte apelo de cobrança e vigilância por parte de toda a população perante a gestão pública no sentido de faze-la sentir mais ainda o seu grau de interesse  e a necessidade urgente de SSA e RMS na melhoria,na ampliação e modernização do sistema de Mobilidade Urbana hoje em estado calamitosamente crítico e extremamente precário...Fazer criticas é necessário,mais apenas faze-la simplesmente, é comodo e não traz resultados positivos ou satisfatórios que possam de alguma forma ou maneira ajudar a tornar realidade uma obra que é o grande desejo da população das cidades a serem por ela contempladas e que sem duvidas trara grandes benefícios para todos.Também é preciso apontar soluções,a cobrança deve e tem que ser feita de forma que se possa contribuir e ajudar de maneira incisiva para que resulte em bons resultados em todos os sentidos e isso só se consegue através da organização popular através de movimentos sociais e articulações de movimentos populares e de bairros e a sociedade civil como um todo.Sem fazer nenhum julgamento político para mais ou para menos sobre o Gov. do Estado mais apenas levando em consideração aspectos técnicos sobre tudo o que já foi feito pelo mesmo com relação a Mobilidade na cidade, podemos tomar com expl. a construção do Complexo viário 2 de julho ( Rotula do Aeroporto) pendente desde a ultima reforma realizada no nosso Aeroporto em gestões passadas,a Rotula do Abacaxi, e o andamento da obra da via Portuária e me reservo a citar aqui apenas estas obras por estarem elas diretamente ligadas ao assunto da Mobilidade dentro de SSA e RMS.Muito diferente da conturbada obra do metrô Lapa / Pirajá onde o modelo usado pela Prefeitura que contratou  a construção e execução da obra,desvinculando do consorcio responsável pela construção a posterior operação do Metrô,que ficaria sob a sua responsabilidade( da prefeitura) após a conclusão das obras,ocasionando uma serie de problemas já público e notório e do conhecimento de todos,pois consorcio envolvido na construção não teria mais nenhuma responsabilidade com o sistema após a conclusão das obras do mesmo. O projeto do metro (Linha 2) da Paralela,assim conhecido,obedece um outro tipo de planejamento de construção e operação.

1º) A concepção do projeto: Foi realizado pelo Gov.do Estado o PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse),uma licitação previa para a escolha de um projeto que possa equacionar os problemas da mobilidade a médio e longo prazo ( no minimo por 30 anos) com resultados positivos que se refletirão também no atual momento,cabendo então ao vencedor do projeto a ser escolhido o reembolso pelos custos da sua elaboração, pelo consorcio ou empresa que seja o executor da obra e operação do mesmo.Após a definição do projeto a realização de estudos e ações conjuntas complementares sobre questões diversas pertinentes,entre o estado e as prefeituras envolvidas para a consolidação e a viabilização do projeto.

2º) O passo seguinte: a licitação pública para a escolha da empresa ou o consorcio para a execução das obras e posterior operação dos sistemas ( Metrô SSA / L.de Freitas) e (Lapa /Pirajá) através do regime de PPP,que acontecerá após 60 dias do lançamento da mesma,onde durante esse período estará sujeita a consultas pública e sugestões até data do dia da sua realização.

3º).Capitação de recursos,como funciona: As obras contarão com recursos do Gov. do Estado, R$600 milhões levantados por empréstimos, recursos do Gov.Federal, R$1.0 bilhão proveniente do PAC  Mobilidade e mais recursos da iniciativa privada oriundos do consorcio que ficara responsável pela construção e operação do sistema,correspondente a chamada contrapartida.Os pagamentos do governo serão efetuados após a conclusão da obra e a sua entrada em operação por cada trecho.

4º) A lógica: Sendo do consorcio ou empresa a responsabilidade da construção do metrô,também com aporte de capital próprio,cujo os custos serão ressarcidos ao fim da execução das obras e com a entrada em operação do sistema,fica difícil imaginar que qualquer grupo empresarial que seja o vencedor da licitação tenha qualquer tipo interesse em postergar a conclusão da referida obra pois só ao seu termino  passara a ter também como retorno financeiro do seu investimento,recursos oriundos da receita que será aferida através da bilhetagem com o funcionamento do Metrô da linha 2 e  também a linha 1 ( Lapa /Pirajá ) incluído no pacote. Essa é apenas uma abordagem exclusivamente técnica do assunto. Vale apena salientar que a experiência do gov. do estado da Ba. com relação a implantação e uso do sistema " PMI " serve hoje de referência para outros estado,a expl. de SP e MG que também passaram a fazer uso deste instrumento para os novos projetos de transportes de massa de alta capacidade.



Veja também -
Lançamento do edital de licitação do sistema Metroviário Salvador / Lauro de Freitas

terça-feira, 19 de junho de 2012

BH pode ter 500 km de FERROVIAS revitalizados

ACORDA......SALVADOR....ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ.........

A Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) pode ter os quase 500 quilômetros de ferrovias revitalizados. Esta é uma medida possível, pois, na semana passada, o Governo de Minas Gerais, por meio da SEGEM (Secretaria de Estado Extraordinária de Gestão Metropolitana), da SEDE (Secretaria de Desenvolvimento Econômico), ARMBH (Agência de Desenvolvimento da RMBH) e Unidade PPP (Unidade de Parcerias Público-Privadas), iniciou um Procedimento de Manifestação de Interesse do projeto de implantação ferroviária com foco no transporte de passageiros. O PMI, lançado pelo Estado, convida aos interessados no projeto a participarem e elaborarem estudos técnicos, que contribuam na construção do melhor modelo de concessão para a realização do serviço. Para reativação da malha, que engloba 21 dos 34 municípios da região metropolitana da capital mineira, nas quais estão inseridos importantes polos regionais como Divinópolis, Sete Lagoas e Conselheiro Lafaiete, o Governo analisa quais as melhores maneiras de executá-la, sendo que o projeto poderá ser realizado por um ou mais parceiros privados que irão operar linhas metropolitanas e/ou regionais em três grandes ramais ferroviários, divididos em lotes no Edital da PMI. Na divisão dos trechos, o Lote 1 contempla uma linha entre Sete Lagoas e Divinópolis, passando por Belo Horizonte; já o Lote 2, fica entre Belo Horizonte e Brumadinho; e o Lote 3, entre a capital e Conselheiro Lafaiete, com uma variante que se estende a Ouro Preto. Esta iniciativa vai ao encontro do PDDI (Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado) da Região Metropolitana, que prevê a implantação de transporte sobre trilhos como umas das bases da mobilidade no local, assim, desafogando o tráfego da região, com a retirada de veículos sobre rodas das ruas. Além disso, o governo prospecta, com esta medida, fomentar o desenvolvimento em outras regiões do entorno de Belo Horizonte.

Webtranspo – 18/06/2012
Fonte - São Paulo Trem Jeito  19/06/2012


Nosso comentário. Salvador, a terra do BUZU, quanto mais o tempo passa mais ela vai andando para traz, e o pior de tudo isso é constatar a animação com que os nossos prefeituráveis sempre falam do BRT!!!!!!,e da tal RIT, cruz credo, como se isso fosse o caminho da Salvação. Em Salvador dos engarrafamentos e dos medonhos BUZUS,só Jesus e os Trilhos Salvam....


Salvador sobre Trilhos

 além de Trem e Metro, eu e a população de Salvador

domingo, 17 de junho de 2012

Após 13 anos de obras, metrô de Fortaleza é inaugurado sem fortalezenses

TOMA VERGONHA... SALVADOR



(foto Daniel Aderaldo)

Primeiro trecho da linha Sul começou a operar em fase de testes ligando municípios da região metropolitana à periferia da capital.Foram necessários 13 anos, três governadores e mais de R$ 1,7 bilhão para que o metrô de Fortaleza (Metrofor) finalmente virasse realidade. Contudo, após longa espera, dinheiro investido e transtornos superados, os moradores da capital ainda terão de aguardar um pouco mais até os velozes trens adquiridos pelo governo do Ceará começarem a atravessar a cidade em todo percurso prometido.O trecho da Linha Sul do Metrofor, inaugurado na sexta-feira (15) pelo governador Cid Gomes (PSB), liga a Estação Carlito Benevides, no município de Pacatuba, a Estação da Parangaba, na periferia de Fortaleza.Os 15 quilômetros percorridos em superfície beneficiarão principalmente as pessoas que vivem nos municípios da região metropolitana e trabalham na capital. Os outros dez quilômetros – esses ligando a periferia de Fortaleza ao centro da cidade – ficaram para depois. A previsão é que as viagens do segundo trecho comecem apenas em meados de outubro.Os trens começam a operar em caráter experimental durante o período da manhã e parte da tarde de segunda a sexta-feira. A cada 20 viagens, uma viagem de teste. A operação comercial ficará para 2013. Até lá, não se cobrará passagem.Prevista para 15 horas de sexta-feira, a viagem inaugural iniciou com duas horas de atraso e foi bastante concorrida. Jornalistas e autoridades se espremeram nos quatro modernos vagões com ar-condicionado e cadeiras acolchoadas de um dos 20 trens de fabricação italiana com 40 metros de comprimento e capacidade para 445 passageiros.
Obras atrasadas As obras do Metrofor se arrastam desde 1999. Os anos de 2002 e 2005 foram os mais críticos para o andamento dos trabalhos devido a cortes de recursos do governo Federal. Somente em 2007, com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), os investimentos necessários foram garantidos. Com a escolha de Fortaleza para sediar jogos da Copa do Mundo de 2014, o projeto entrou no pacote de mobilidade urbana.Para abrir espaço para as estações novas, trechos elevados e subterrâneos, o centro de Fortaleza virou um imenso canteiro de obras. Avenidas foram interditadas por anos, o comércio foi afetado e dezenas de estabelecimentos faliram. Com o término das intervenções urbanas de maior porte, o fortalezense começa a ter de volta áreas antes repletas de tapumes e crateras.
IG – Daniel Aderaldo /Fonte São Paulo Trem Jeito 16/06/2012

Nosso comentário - Apesar de também a sua construção já ter consumido 13 anos desde o inicio das suas obras o METRÔ  de Fortaleza já entrou em operação em faze experimental no seu 1º trecho com uma de linha de 15 km concluída e o segundo trecho com mais 10 km devera ficar pronto em outubro quando então a linha passara a ser operada integralmente em toda a sua extensão. Em SALVADOR 12 anos, 6km, quase R$1.2 bilhão e o nosso METRINHO  continua imóvel.Porem a sua IMOBILIDADE  poderá ser destravada enquanto durar o período ELEITORAL, quando com certeza ficara subindo e descendo servindo de GAROTO propaganda para atender aos interesses eleitoreiros do atual ALCAIDE da cidade.
  
Piuuuuuiiiiiiii........O Trenzinho da alegria.....de quem????????